9.10.17

Brasil: O Grande Salto Para Trás [legendado]



O documentário dos jornalistas franceses Fredérique Zingaro e Mathilde Bonnassieux chamado "Brésil: Le Grand Bond en Arrive" ("Brasil: O Grande Passo para Trás") retrata as consequências do golpe e a tomada de poder por uma classe política corrupta e dedicada a seus próprios interesses.
O filme foi exibido no sábado, 30/09, na programação do Festival Biarritz América Latina 2017.



30.9.17

Frida Kahlo La Bruja - versão do Conjunto Jardín


Ay que bonito es volar A las 11 de la noche A las 11 de la noche Ay que bonito es volar Ay mama Subirse y dejarse caer en los tirantes de 1 coche en los tirantes de 1 coche y hasta quisiera llorar ay mama

Me agarra la bruja Me lleva a su casa Me vuelve maceta Y una calabaza Me agarra la bruja Me lleva al cuartel Me vuelve maceta Y me da de comer Y diga me diga Me diga me usted Cuantas creaturitas Se ha chupado usted Señora ninguna Ninguna no sé Ando en pretenciones De chuparle a usted A una bruja me encontré Por el aire iba volando Por el aire iba volando A una bruja me encontré Ay mama

Entonces le pregunté A quien andaba buscando Me dice quién es usted Soy cantador de huapango Ay mama Levantate Chucha Y levantate Joana Que viene la bruja Detrás de tu hermana Levantate Pepa Y levantate Adela Que viene la bruja Detrás de tu abuela Y diga me diga Me diga me usted Cuantas creaturitas Se ha chupado usted Señora ninguna Ninguna no sé Ando en pretenciones De chuparle a usted

Ahora si maldita bruja Ya te chupaste a mi hijo Ya te chupaste a mi hijo Ahora si maldita bruja Ay mama Ahora le vas a chupar A tu marido el ombligo A tu marido el ombligo Y hasta quisiera llorar Ay mama Cuando a tu marido Le encuentro dormiendo Le arrancó las piernas Y me voy corriendo Cuando a tu marido Le encuentro dormido Le arrancó las piernas Y me voy contigo

Y diga me diga Me diga me usted Cuantas creaturitas Se ha chupado usted Señora ninguna Ninguna no sé Ando en pretenciones De chuparle a usted


23.9.17

"Chuva" curta-metragem de Joris Ivens 1929



Regen (Chuva) é um poema-filme, um filme experimental da precipitação e queda de uma chuva em Amsterdã. Filme impressionista composto como uma sinfonia. Ivens levou dois anos para filmar diferentes chuvas em diferentes locações da cidade. A música é de Hanns Eisler, composta em 1941.




Rome The Orchards Berlin 2006

19.9.17

Ms. Bruna Beber

Glauber Rocha




A cruz na praça, segunda experiência cinematográfica de Glauber Rocha depois do curta-metragem O pátio (1959). Baseou-se no seu conto "A retreta na praça" publicado na antologia Panorama do conto baiano. No filme Glauber retira a dupla original homem e mulher do conto e substitui por dois homens. Sensibilizado pela grande violência contra os homossexuais na Bahia dos anos 1950, ele muda de foco para abordar um assunto que na época era politicamente pouco discutido. O filme mostra a perambulação dos dois homens pelo Cruzeiro de São Francisco, até que um deles, como na foto, agarra o membro do outro, o que leva a uma sequência de imagens fortes e reprimidas de anjos, santos e monstros barrocos da Igreja de Nosso Senhor e por fim à cena de castração em torno da cruz, o símbolo do catolicismo. A cruz na praça é considerado inacabado, e raro, quem não viu ficará no ar.  





Iturrusgarai

17.9.17

Carta #5 de José Luis Guerin para Jonas Mekas


Descrição:


Correspondencia(s) es un cofre de 5 DVDs del sello © Intermedio que reúne las misivas filmadas de diez directores esenciales del cine contemporáneo. La correspondencia fílmica es un nuevo y original formato de comunicación entre directores que, a pesar de encontrarse separados geográficamente, están unidos por la voluntad de compartir ideas y reflexiones sobre todo aquello que motiva su trabajo. Esta idea surgió originalmente (pero no están incluidas en esta colección) con las diez cartas cinematográficas que intercambiaron el director de cine español Victor Erice y el cineasta iraní Abbas Kiarostami, se trataban de cartas redactadas en formato video-digital, y escritas en sí literalmente, tanto en caracteres españoles como persas y con pluma estilográfica. Correspondencia(s) trae un un libro detallado para profundizar conceptualmente el total de 29 cartas filmadas, de Barcelona a Nueva York, de Girona a Nara, de Banyoles a Buenos Aires, de Madrid a Shaanxi, de Ciudad de México a Puxan y viceversa, entre los cineastas: José Luis Guerin (Barcelona) – Jonas Mekas (Nueva York) Albert Serra (Banyoles) – Lisandro Alonso (Buenos Aires) Isaki Lacuesta (Girona) – Naomi Kawase (Nara, Japón) Jaime Rosales (Madrid) – Wang Bing (Shaanxi, China) Fernando Eimbcke (Ciudad de México) – So Yong Kim (Pusan/Nueva York).


Rimbaud

16.9.17

Women of Ireland - Ceoltóirí




There's a woman in Erin who'd give me shelter and my fill of ale; There's a woman in Ireland who'd prefer my strains to strings being played; There's a woman in Erin and nothing would please her more Than to see me burning or in a grave lying cold. There's a woman in Erin who'd be mad with envy if I was kissed By another on fair-day, they have strange ways, but I love them all; There are women I'll always adore, battalions of women and more And there's this sensuous beauty and she shackled to an ugly boar. There's a woman who promised if I'd wander with her I'd find some gold A woman in night dress with a loveliness worth more than the woman Who vexed Ballymoyer and the plain of Tyrone; And the only cure for my pain I'm sure is the ale-house down the road.





John Ashbery

13.9.17

1 poema de Patricia González López





A patroa te ama


Mandem embora todos os paraguaios
que vêm aqui roubar nossos empregos
lotam os hospitais
e não pagam impostos!
Que voltem pro seu país
ou que fiquem no interior onde tem menos gente
e precisam de mulas.
Mandem embora todos,
menos minha faxineira,
vocês não imaginam como é boa!
Em todos esses anos
nunca me roubou,
e olha que muitas vezes
deixei dinheiro no criado-mudo
e meus anéis no banheiro
mas nunca dei falta de nada
e isso que mora numa favela....
É uma em um milhão!
Honesta,
Asseada...
Se veste mal, coitada,
mas como eu sou muito generosa
desapegada
sempre lhe dou alguma peça de roupa.
É muito boa
tão boa que não me pede nada
nem pra ser registrada,
É tão caro pagar os encargos sociais!
Tem a sorte de comer como um passarinho,
traz pão e mate de sua casa,
quando tem alguma festa é ela que serve,
e como eu gosto de ajudá-la
lhe dou as sobras do bolo para que leve a seus filhos
Você acredita que ela os deixa todo o dia sozinhos?
Uma vez bancou a esperta
e não trabalhou no Ano Novo,
tinha que ficar doente justo aí!
Tudo bem, uma vez em 27 anos
que falte num Ano Novo,
Não foi nada, até porque no Natal ela veio
Ah, mas na Semana Santa não falha!
Tão boazinha,
é uma dádiva que não responda
e que sempre fique até tarde.
Mas no seu aniversário
eu a deixo ir lá pelas nove,
assim chega em sua casa
antes da meia-noite
e pode comemorar com sua família.


(tradução de Paulo Ferraz)

12.9.17

Queermuseu x MBL




O episódio de Porto Alegre [censura da exposição Queermuseu] mostra -- uma vez mais -- que não vinga no Brasil esse negócio de direita moderninha, descolada, liberal. Esse era o projeto do MBL, tal como imaginado por seus idealizadores na América do Norte. Uma direita que fosse capaz de disputar o ambiente acadêmico, arejada nos "costumes" e troglodita como sempre no que diz respeito às relações entre capital e trabalho ou à regulação pública das relações econômicas. O modelo seria o de outra estrela da Atlas Network na América Latina, a jovem cientista política guatemalteca Gloria Álvarez, que esteve até por aqui, dando palestras para FHC assistir. Sua conta no Twitter é "crazyglorita", que revela bem como ela deseja ser vista. Por trás do terninho, da maquiagem pesada, da certeza sobre o caráter imutável da natureza humana egoísta e da defesa do Estado mínimo, ela é crazy. Como diria Luciano Huck: loucura, loucura, loucura.


Não funcionou. 

Direita descolada é um luxo que o Brasil não está em condições de sustentar. Por isso, o MBL não perde a chance de despir a fantasia e assumir o velho obscurantismo raiz de sempre. Seu caminho é se tornar uma nova versão da TFP.


Luis Felipe Miguel

via FB


10.9.17

http://mykristeva.tumblr.com/post/165164665485

Conversa com Luis da Câmara Cascudo

Jornal Movimento




Jornal Movimento, edição de 1976, manchete "Geisel em um Mar de Lama". O jornal, ligado ao francês Le Monde, apontava mais de 2.000 casos de corrupção no período entre 1964 e 1976. Uma junta militar ficou responsável pelo recolhimento das publicações e a sede do jornal foi fechada por seis meses, com a acusação de suspeita de terrorismo. Esse é um dos poucos exemplares que sobraram dessa histórica edição.